• Comunicame

Etapas de uma carreira chamada empreender

Artigo Cliente Comunica me - Ricardo Veríssimo - Autor, palestrante e especialista em empreendedorismo.


Empreender pode ser comparado a uma carreira? Assim como em uma carreira é preciso preparação, desenvolvimento, avaliação de resultados. Para empreender também é preciso tudo isso. Existem sim estágios evolutivos na vida do empreendedor e está diretamente ligado ao nicho de mercado escolhido, assim como o desenvolvimento de sua carreira está diretamente ligado a área de atuação escolhida.


Cliente Comunica me - Ricardo Veríssimo - Autor, palestrante e especialista em empreendedorismo



Vamos pensar juntos. Um dia você acorda e decide se tornar médico, vai na loja de produtos hospitalares compra um jaleco branco, um estetoscópio, lê na internet algumas informações sobre o mercado de médico e pronto nasce um médico para o Brasil. É assim que funciona? Claro que não! Acontece que tem muita gente por aí achando que empreender é assim, passa meia hora na internet pesquisando, compra uns insumos ou testa algumas formas de oferecer um serviço, faz um cartão de visitas e pronto, nasce um empreendedor.

Médico, advogado, técnico de informática, administrador, seja lá qual for sua profissão, você precisa passar por algumas etapas para ser um profissional capaz de atuar e mais ainda capaz de avançar em seu plano de carreira. O empreendedor também precisa, assim como qualquer profissão, de algum tempo de estudo, teste da capacidade (estágio), aperfeiçoamento e muitas outras etapas que falaremos a seguir. Sabe qual a grande diferença? Não existe faculdade que ensine a empreender de fato. Ela te ensina o conhecimento teórico, vindo muitas vezes de professores que só conhece empreendedorismo através dos livros, nunca tiveram uma empresa de fato. Você confiaria em um cirurgião que nunca realizou uma cirurgia?


Eu sei, que muitos professores irão me criticar por dizer isso, mas é uma verdade. Para ensinar a empreender não basta conhecer a teoria, tem que passar por residência em empreender, assim como o cirurgião passa por residência médica e também um tempo com outro cirurgião aprendendo na prática. Se você deseja empreender, sim faça cursos, tenha muita teoria, não há problema nisso, eu mesmo estudei muito. Faz parte da evolução da carreira de empreendedor. Só não esqueça que praticar também é importante. Quantas palestras de empresários você já assistiu? Ouviu quantos, contar que faliram antes? É normal empresários de sucesso terem falido antes, estavam praticando empreender.

Ninguém aprende a andar sem engatinhar antes.


O segundo ponto é a falta de uma padronização para empreender, não existe uma regra dividindo as etapas em semestres, como em uma faculdade, não existe prova de recuperação no mercado e se você errar vai quebrar sua empresa e terá que voltar no primeiro semestre, quer esteja empreendendo há vinte anos ou há um mês. A experiência aqui vai te ajudar no recomeço, porém na prática quebrar é quebrar para o novato e para o veterano e todos voltarão do início.


Ricardo, então se não existe padronização, como posso melhorar minha capacidade de ter resultados quando o assunto for empreender? Fazendo valer das melhores práticas, ou seja, modelando aqueles que tiveram sucesso empreendendo, a forma deles de fazer e emulando em seu negócio. Cada negócio é único. Que etapas eles seguiram para ter sucesso e como posso aplicá-las em meu negócio? Por exemplo: O Ricardo Nunes da Ricardo Eletro, conta em uma palestra que você pode achar no Youtube [ https://www.youtube.com/watch?v=ws88O4u-5ow ] que sua principal forma de fazer negócios é tendo o preço baixo.

Terceiro ponto importante. Ter dinheiro para investir na área que deseja empreender. Assim como ser médico não está acessível para muita gente, pois, é estudo em tempo integral e mesmo que você passe para uma universidade federal, alguém terá de te alimentar, vestir, comprar materiais de estudo até você terminar a faculdade. Não é como estudar administração ou direito, que você pode trabalhar e estudar ao mesmo tempo. Empreender também requer dinheiro e em quantidades diferentes de acordo com a área escolhida.

Vamos ver abaixo, um exemplo de plano de carreira e logo após vamos comparar com as etapas de empreender.


Plano de Carreira da Volkswagen

O Processo de Desenvolvimento Integrado da Volkswagen propicia a seus funcionários uma formação qualificada e especializada, com módulos no Brasil e no exterior. Após serem avaliados quanto a seu histórico profissional, desempenho e outros pontos, os colaboradores escolhem dentre as possibilidades de carreira e são chamados para uma conversa com o administrador da empresa. Uma nova etapa avaliará se o funcionário possui as 11 competências fundamentais para a realização do Programa: visão estratégica, comunicação, foco no cliente, liderança, trabalho em equipe, empreendedorismo, possibilidade de mudar de cidade ou até de país, domínio do inglês e do alemão, bom relacionamento interpessoal e noções de negociação.

Dependendo do resultado dessa análise, é sugerido ao colaborador um crescimento vertical na hierarquia da empresa — ligado a cargos de gestão, ou um lateral (no qual corresponderá a atividades distintas dentro de seu mesmo departamento).

O funcionário é, então, enviado para um conjunto de treinamentos, podendo ser desligado do treinamento caso necessite aprimorar suas competências, sendo reintegrado posteriormente.


FONTE: http://www.ibccoaching.com.br/portal/coaching-carreira/confira-exemplos-modelo-plano-de-carreira-empresas/


Como você pode ler neste exemplo, ter um crescimento de carreira na empresa não está diretamente ligada a conhecer do produto ou serviço. Você não viu na citação da Volkswagen, conhecer de automóveis como fator determinante no sucesso de carreira. Ao contrário disso viu informações que remetem a capacidades e comportamentos.

Para melhor entendimento vamos dividir o que é uma capacidade e o que é um comportamento. Falar inglês é uma capacidade; boa comunicação é uma capacidade; empreender é uma capacidade. Já, ser sociável, proativo, educado, cordial são exemplos de comportamento. Saber fazer é uma capacidade, querer fazer é um comportamento.

Vou colocar abaixo as etapas que eu segui para minha carreira de empreendedor, para que vocês possam conhecer, analisar e adaptar a área onde deseja empreender. Lembrando que falarei de capacidades e comportamentos, pois, um sem o outro não te levará a resultados satisfatórios.


Ideia

Primeiro ponto na carreira de empreender é ter ideia sobre onde irá empreender e de que forma. É como escolher se quer ser médico, advogado e administrador, porém vai mais além. Tem que saber que especialidade, que área de atuação, qual público pretende trabalhar e etc.


Você precisa olhar o final da jornada para poder imaginar o começo. Como assim Ricardo? Imagine-se médico, daqui a trinta anos, como você seria? Que público estaria atendendo, em que cidade, qual idade deles, quanto você estaria ganhando? Você seria um médico renomado, conhecido por ser bom por quais motivos (seu diferencial)? Agora que você tem uma ideia de onde quer chegar e como quer chegar, pense quando isso vai acontecer? Pronto agora você tem uma meta e data para acontecer.


Com sua ideia de negócio é a mesma coisa, pense como será sua empresa no futuro, qual público ela irá atender, em que região, qual faturamento, qual diferencial. Posso começar assim grande?


Agora pense em como fazer essa sua ideia acontecer de fato. Ficou difícil, não é? Nós vamos dividir isso em etapas mais abaixo para facilitar.

Agora quero que volte um pouco no tempo e pense somente na ideia principal. Por exemplo, digamos que você pensou: Quero ser empresário do ramo de desenvolvimento de games, jogos voltados para terceira idade, meu diferencial serão jogos de ação e minha visão futura é dominar o mercado europeu.


Já definiu:

Qual negócio – Games

Público – Terceira idade

Comunidade ou segmento de mercado – Mercado europeu

Nicho específico – Amantes de jogos de ação

Diferencial – Desenvolvimento de jogos de ação voltados para terceira idade atendo suas necessidades especificas quanto a coordenação, visão e velocidade de manuseio.

Obs.: Este é um artigo curto que não consegue e não pretende esgotar este assunto. Minha sugestão como autor é que você se aprofunde em cada tópico deste buscando mais informações. Quanto mais detalhada for sua busca, melhor será a próxima etapa que é a validação da ideia.


Validação de ideia

Aqui você irá validar sua ideia tendo em mente dois aspectos principais: O mercado deseja meu produto? Ou o mercado desejará meu produto?

A resposta para: o mercado deseja meu produto, você encontra fazendo pesquisa de mercado, que deve ser feita necessariamente no mercado ou comunidade onde você deseja atuar. Descobrir que o mercado não quer seu produto não quer dizer que ele esteja descartado, pode indicar que talvez você deva ir à segunda pergunta: Meu mercado desejará meu produto?


Quando você vai a um mercado e está sendo oferecido uma degustação de linguiça recheada de queijo, esta empresa está justamente pesquisando as impressões do cliente sobre seu produto já existente ou um protótipo para avaliar aceitação de mercado.

Como eu respondo a segunda pergunta? Você precisa ter uma capacidade de lidar com risco alto, aqui a vantagem é ser inovador, pois, significa que ninguém tem o produto ou serviço que você quer oferecer. E para saber você precisa escolher alguém com perfil do público que deseja atingir e descobrir se ele desejará seu produto, quando exposto a algumas experiências ou na ausência de algumas experiências. Em resumo você está criando algo inédito baseado em uma lacuna de mercado. Quando Steve Jobs criou um aparelho de celular para ouvir música, vídeo, e etc. Ele criou tendência e isso é bem difícil.


Eu mesmo inventei para este artigo, o games de ação para terceira idade, não achei nada na internet dizendo que exista, porém, me imaginei aos 80 anos, querendo jogar vídeo game de última geração e não podendo devido as limitações da idade. Imaginei jogos que meu neto jogaria e eu não conseguiria jogar, pois, tem detalhes tão pequenos que não enxergo e requer uma velocidade apertando botões variados que eu não consigo. Não existe até onde achei. Será que a terceira idade sentirá esta necessidade que imaginei? Não sei a resposta seria preciso algumas entrevistas, avaliação de tendência para validar ao máximo a ideia.

Nesta parte também peço que fique atento as capacidades necessárias e os comportamentos. Capacidades: Conhecer o mercado europeu; falar os idiomas falados na Europa (ao menos o mais falado); conhecer tecnologia de programação para games (você pode contratar desenvolvedores e mesmo assim precisará conhecer sobre o assunto); conhecer sobre habilidades motoras e o uso dos cinco sentidos na terceira idade ou também conhecida como a melhor idade. Comportamentos: Paciência para lidar com pessoas de idade, capacidade de lidar com riscos, facilidade para aprender novos idiomas, etc.


Sugiro que leia outros dois artigos meus sobre esse tópico, são antigos porém muito válidos: http://ricardoverissimo.com.br/como-mastiguei-uma-ideia-empreender/ e http://centralofideas.com/programacao/Empreender_da%20ideia_%C3%A0_legaliza%C3%A7%C3%A3o


Capitalização

Muitos profissionais dizem que não é necessário montar um plano de negócios e eu concordo em parte. Porque assim como alguns empreendedores eu montei um plano de negócio e usei muito pouco dele. Até porque um plano nunca será igual na pratica e nem deve, um plano é um norte, o cenário futuro para você usar como base. Não um mapa para seguir à risca como usando um GPS em seu carro. Duas coisas foram importantíssimas, na minha experiência com plano de negócios, previsão de investimento, despesas e custos e a experiência em montar o plano de negócios.


Montar um fluxo financeiro para 5 anos de negócios, baseado em três cenários, pessimista, moderado e otimista, foi de suma importância na minha experiência, talvez não por acaso quebrei duas empresas antes da primeira que deu certo e está no mercado há 11 anos. O fluxo financeiro te ajuda a prever as saídas e entradas de recursos financeiros, sejam elas, despesas, custos, receitas ou investimentos. Caso seus pagamentos/ receitas não sejam ao menos equilibradas, o que você fará? Te mostra uma base de quanto dinheiro precisará investir até que a receita seja igual ou superior as despesas.

Tendemos a querer começar grandes, mas nem sempre os recursos financeiros nos permitem isso. Logo talvez sua ideia não esteja adequada aos seus recursos. Já lhe adianto que quase nunca está e é aí que precisamos ser mais empresários que empreendedores. Colocar os pés no chão, mesmo tendo a cabeça nos céus. Empreendedor sonha e empresário operacionaliza o sonho.


Conciliar

Outro fator que quase nunca é falado, é que você já começará empresário ou ainda continuará trabalhando e conciliando ser colaborador de alguém até que a receita do negócio pague ao menos suas despesas. Eu comecei assim, mantive a empresa e meu emprego durante dois anos. Até que minhas receitas pagassem ao menos 70% das minhas contas. Uma minimização de risco. Confesso que se tivesse 100% focado na minha empresa teria tido sucesso antes, porém teria falido sem recursos financeiro para pagar meu aluguel e sustentar minha família.


Logo pense também os riscos oriundos de largar tudo para empreender. O Brasil é altamente arriscado para empreender. Tem alta carga tributária e alto percentual de impostos trabalhistas. Garantias zero para o pequeno e médio empreendedor. Somente as empresas grandes tem, quando tem, algum benefício fiscal do governo e geralmente só recebe quando é para evitar demissões em massa.


Capacitação

Estar capacitado é de fundamental importância para ter sucesso empreendendo, assim como em qualquer carreira, para tanto você precisa entender de coisas relacionadas a ser um empresário e também ligadas ao seu segmento. Você precisa entender ao menos de marketing; marketing digital; pesquisa de mercado; finanças básicas para empresas; técnicas de vendas; gerenciamento de equipes; estratégia empresarial; inovação; risco; conhecer sobre a concorrência no seu setor; fornecedores e mão-de-obra qualificada em seu setor; legislação ligada ao seu segmento; produção e gestão de processos de produtos e serviços.

Ricardo, se é louco, é muita coisa? Sim, claro e para se formar em direito, administração ou medicina quanto tempo é necessário de estudo?


É aqui que muitos pecam, assim como eu pequei, acham que podem ir direto para prática sem a teoria ou vice-e-versa. Eu só tive sucesso como empreendedor após quebrar dois negócios e passar seis meses em um projeto de fomento ao empreendedorismo, estudando muito o que é ser um empresário. Sem contar o que eu já havia estudado antes, mas sem contato com empreendedores práticos que fizeram acontecer e não que leram em um livro somente.


Digamos que foram dois anos e seis meses de teoria e 3 anos de práticas que não deram certo (residência), quando somado tudo foram 5 anos e meio de estudo. Parecido com cursar uma faculdade quanto limitamos a tempo, não é?

Toda regra possui exceção e existem empreendedores que deram certo de primeira e sem qualquer preparação. Quase sempre ligados a produtos commodity (https://pt.wikipedia.org/wiki/Commodity)


Planejamento

Planejar é colocar no papel um norte de onde você deseja chegar, quanto mais detalhado as etapas de onde você quer chegar, mas fácil será de o planejamento ser realista. Recomendo que você se baseie em um modelo, mas que pegue somente os tópicos a seguir e escreva baseado em sua realidade. Um plano de negócio não é uma monografia de final de curso que você deposita na biblioteca e possivelmente nunca mais vai usar.


É seu manual de cabeceira. Ricardo já li que plano de negócios está obsoleto e que o melhor é o Canvas. Eu também, assim como já ouvi que o e-book ia substituir o livro impresso e ambos estão por aí desde então. Logo minha sugestão é: Faça ambos, pois, são bem diferentes apesar de terem o mesmo objetivo. Assim como o e-book e o livro impresso não são iguais, cada um deles traz características diferentes que não são encontradas em ambos.



Lembrete importante. Plano de negócio não precisa ser seguido à risca e não é um documento estático, deve ser dinâmico, flexível e alterável de acordo com sua evolução como empresário.


Implantação

Colocar em ação. Isso é implantar. Nesta etapa você se formou e está indo para o mercado de trabalho empreendedor. Botando a mão na massa, descobrindo que na teoria à prática nem sempre se confirma. Sentindo que assistir um filme é diferente de viver uma experiência real, que aqui o sangue não é artificial. Se você cair vai doer.


Antes de iniciar a implantação do seu negócio, se possível teste-o em operação de escala inferior. Como assim Ricardo? Se você pretende abrir uma loja de roupas, venda antes em uma quermesse da igreja, em uma barraca de festa, uma feirinha de bairro. Em resumo estagie empresariar em escala reduzida. Você pode descobrir que não é o que você quer para sua vida ou que o negócio na prática não valida a teoria. Aqui se você der errado o prejuízo é menor.


Seja inovador, pense como testar em escala reduzida.


Sustentabilidade

Não basta operacionalizar, faturar, ter estrutura, se você não se paga, não é sustentável. Já vi negócios sendo mantidos por anos com recursos de seus donos, parecendo ser um sucesso quando na verdade nunca deram lucro. A vaidade, o medo do julgamento das pessoas, o emocional, impedem que desistamos. A final seu empreendimento é como um filho. Só que a sustentabilidade é necessária para alcançarmos novos rumos como expansão e ou diversificação.


Recomendo que até ter sustentabilidade mantenha-se sentado sobre o caixa, evite qualquer gasto que não envolva criar algo que gere receita. Evite montar filiais antes de ser sustentável. Já vi negócios extremamente potentes quebrarem, pois, seus donos expandiram antes de serem sustentáveis, seja, ainda não tinha recuperado o investimento inicial e feito reservas e já estavam usando o lucro operacional e não o lucro líquido na criação de filiais na esperança de que mais uma fonte de renda pagaria o que primeira fonte não estava pagando. Uma matriz doente geralmente não gera filhos saudáveis.


Conclusão

Fiz esse artigo sem recorrer a qualquer bibliografia, pois, queria usar somente aquilo que tenho em minha mente sobre como foi empreender para mim. Foi difícil, porém foi e é até hoje uma aventura gostosa cheia de obstáculos, longe de ser glamorosa como nos filmes, porém é minha profissão, o que me define e a qual escolhi como carreira. Sou profissional empreendedor, tenho outras profissões, mas me defino como empreendedor e neste breve artigo quis lhe passar como você pode ter um norte ao empreender. Boa sorte e não desista fácil.

0 visualização

Contato

Vamos conversar para entender o que

podemos fazer por você 

Avenida Pasteur, 110, 7 andar, Botafogo

Rio de Janeiro, RJ - Brasil 

Whatsapp (21) 97986-5029
 

Fale conosco